terça-feira, 7 de junho de 2011

Estamos em Portugal...

...e basta!!! Fiquei hoje de boca aberta com mais uma saída da burocracia portuguesa. É de lamentar situações como esta. O problema é que há muitas assim deste género por esse país fora. Passo a contar este episódio triste.

Muito recentemente começei a falar com uma rapariga que estuda comigo, encontramo-nos nas aulas de apenas duas cadeiras, no entanto, já a conhecia há mais tempo. É de fácil memorização a cara dela, isto porque a menia é indiana. Aqueles traços faciais são inconfundíveis.

Hoje estava eu na biblioteca a falar com ela sobre os exames, e num instante estavamos a falar de férias. Diz-me ela que tem família em Londres mas que nunca lá tinha ido pois tinha preguiça de ir a Lisboa levantar um visto que a permitisse viajar. Achei muito estranho. Isto porque ela fala português muito bem e já tive oportunidade de a vêr a escrever, e vi que não nenhum erro ortigráfico. Pensei que estaria cá há muitos anos e já teria a nacionalidade portuguesa.

Pois eu tinha "razão". Passo a explicar. A R. apenas nasceu na Índia, veio para cá bebezinha, os pais eram ainda muito jovens também. O que se passa é que para ter a nacionalidade portuguesa há uma porrada de papéis a preencher e um dos papéis a entregar é o registo criminal do próprio de todos os países onde tenha morado desde os 16 anos, juntamente com o do país de origem. Ora o país de origem dela é a Índia mas tendo em conta que esteve lá apenas 2 meses como pode registo criminal? Sim porque um bebé sai à rua a disparar sobre tudo o que é pessoa não é?

Fiquei burra. Ela teve de contratar uma advogada para convencer o nosso país de que não tem qualquer tipo de registo criminal de nenhum outro país porque sempre viveu cá. Tenho a acrescentar que a R. tem 23 anos...23 minha gente. Por favor!!!

Estamos a falar de uma pessoa que aos 23 anos não se sente nem Portugesa, porque não tem registo como tal, nem Índiana porque nunca viveu lá, apenas visitou o país 2 vezes depois de nascer. Ai estes senhores não têm juízo mesmo. Enfim...bem ainda bem que tudo está resolvido e a R. já é Portuguesa. Mas os pais continuam sem o ser por razões muito parecidas.

Se ela fosse jogadora de futebol profissional tinha mais sorte, não é, tem de aguentar com os nossos brilhantes prazos jurídicos e as suas deficiências em termos administrativos.

Lau*

2 comentários:

Catarina Reis disse...

Esta é a parte do Portugal que eu queria ver melhorar. Beijos

Cat^^ disse...

Ola encontrei o teu blog por acaso quando procurava uma imagem no Google, mas assim que li este post parecia estar a ler a minha história!!! Infelizmente o mesmo se passou comigo..vim para Portugal com 2 anos (também tenho 23) e quando pedi nacionalidade portuguesa foi o mesmo drama com o registo criminal..mas no meu caso nao houve nada que me valesse..o meu marido acabou por fazer uma viagem a Angola (que não foi nada barata!!) para tratar o dito cujo...e depois de tanto trabalho ainda estou há quase um ano à espera da resposta do pedido de nacionalidade...enfim este é o país te que temos..

Beijos